Fundação Instituto Fernando Henrique Cardoso

Vida e obra de FHC

Sociólogo, professor e pesquisador, escreveu sobre mudança social, desenvolvimento e democracia. Foi senador, ministro das Relações Exteriores e da Fazenda, e presidente da República.

Arquivo Joaquim Ignácio B. Cardoso

O Projeto PRONAC 09-1546 financiou uma bolsa de um ano para um pesquisador doutorando. Assim foi iniciado o reconhecimento de documentos antigos pertencendo a Joaquim Ignácio Batista Cardoso e a Leônidas Cardoso, respectivamente avô e pai do presidente.

O tratamento dos documentos pertencentes a Joaquim Ignácio Batista Cardoso (1860-1924) começou em meados de 2012 pela higienização e a separação por espécies. Cuidar de papeis antigos (alguns com mais de 100 anos) é tarefa difícil e lenta: uns estão sujos, outros danificados, e deverão ser limpos e restaurados aos poucos, e, eventualmente digitalizados.

A leitura da caligrafia da época e o entendimento de termos técnicos (sendo o titular militar de carreira) ou, ainda, de termos históricos que remetem ao contexto da época são outros desafios.

O armazenamento correto é também uma questão, pois o tamanho de alguns documentos textuais é diferente do mais comum (A4 ou Ofício) e requer a compra de embalagens específicas.

Essa organização inicial revelou a presença de cartas de personagens da República Velha como: Lauro Sodré, Manoel Borba, Benjamim Constant, Nilo Peçanha, João Pandiá Calógeras e Epitácio Pessoa.